Resenha: Japanese Fairy Tales


Título: Japanese Fairy Tales
Autor(a): Yei Theodora Ozaki
Ano: 1903 (1ª publicação)
Gênero: Conto de fadas
Editora: Borgo Press

Olá pessoal! A resenha de hoje é de um gênero que eu não costumo ler com frequência. Japanese Fairy Tales, ou Contos de Fadas Japoneses (tradução livre) é uma coletânea de 22 contos e fábulas que se passam no Japão. Vamos à sinospse? 

Uma coleção de contos e fábulas tradicionais. Vinte e dois contos de fadas japoneses, selecionados e traduzidos por Yei Theodora Ozaki, incluindo "My Lord Bag of Rice," "The Tongue-Cut Sparrow," "The Story of Urashima Taro, the Fisher Lad", "The Farmer and the Badger," "The Shinansha, or the South Pointing Carriage," "The Adventures of Kintaro, the Golden Boy," "The Story of Princess Hase," "The Story of the Man Who Did Not Wish to Die," "The Bamboo-Cutter and the Moonchild," "The Mirror of Matsuyama," "The Goblin of Adachigahara," "The Sagacious Monkey and the Boar," "The Happy Hunter and the Skillful Fisher," "The Story of the Old Man Who Made Withered Trees to Flower" and "The Jellyfish and the Monkey."

É uma leitura bem diferente para nós que estamos acostumados com os contos de fadas europeus. As histórias precisam detalhar bem os acontecimentos antes do ápice da trama e com isso, alguns leitores podem achar que a história está um pouco lenta e muito detalhista. Mas acho que isso é só uma questão de costume. Alguns contos selecionados são chineses e não japoneses, mas isso não afetou minha experiência com o livro.

Temos elementos semelhantes aos que estamos acostumados, como as madrastas são pessoas más, mulheres velhas também são más, existe um reino embaixo d'água, etc. Mas diferente do que estamos acostumados a ler, nessas histórias as pessoas ruins podem mudar e se tornar boas. O bom e mau não são definitivos e diante de uma boa lição de moral, as pessoas conseguem mudar. Em alguns contos a lição de moral foi fácil de perceber, em outros nem tanto, para mim pareceu apenas que era uma fantasia para entreter o leitor, mas pode ser que eu não tenha captado a mensagem.

Acho que vale muito a pena ler esse livro, uma vez que quanto mais caminhamos para a idade adulta, mais tendemos a esquecer do que é a infância e os contos de fadas permitem a saída da realidade e o uso da imaginação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leave your comment!