12 de janeiro de 2019

Resenha: Tarzan - O Filho das Selvas (Livro 1)


Título: Tarzan - O Filho das Selvas
Autor(a): Edgar Rice Burroughs
Ano: 1912 (1ª publicação)
Editora: Coleção Terramarear

Oi pessoal! A resenha que trago para vocês é de uma história pela qual eu tenho muito carinho, pois foi sua adaptação que eu vi na primeira vez que eu fui ao cinema quando tinha 5 anos. Então essa leitura foi carregada de nostalgia para mim. O livro que li recentemente foi Tarzan - O Filho das Selvas e foi ótimo ter lido a história original, pois nunca pensei que pudessem haver tantas mudanças na história que vemos no cinema! Vamos à sinopse?

Nascido na floresta, órfão com apenas um ano de idade, o pequeno lorde Greystoke é adotado e criado por uma antropoide, que o transforma em Tarzan - o homem-macaco, ágil, forte, poderoso guerreiro, líder de seu bando e rei da selva. Mas tendo contato com a espécie humana, sobretudo com membros de uma expedição americana, dentre eles a bela Jane, o herói se transforma. Será que o amor e suas origens como lorde Greystoke irão sobrepujar uma vida inteira como Tarzan? Pode um homem selvagem resistir ao chamado da floresta?
Uma das coisas mais interessantes que descobri a respeito de Tarzan, é que esse não é um volume único da sua história. Na realidade, o autor escreveu uma série de 24 livros sobre o personagem! É inevitável ler e não lembrar da animação do cinema e obviamente fazer comparações. Mas vamos tentar focar na história do livro. Tarzan é uma história clássica sobre liderança, busca por identidade e natureza humana. A leitura é bem fluida e a linguagem prática favorece muito o enredo fazendo com que seja difícil de largar o livro.

Confesso que havia algumas cenas do filme que esperava ter lido, mas ficaram de fora. E isso foi algo que achei interessante, pois foi como se estivesse lendo uma história totalmente nova. E com isso notamos que o livro é bem diferente do filme. Um enfoque constante na história foi sobre a brutalidade da humanidade, uma vez que Tarzan, considerado selvagem, era mais humanizado do que os ditos civilizados. Um debate que não deixa de ser atual, não é verdade? 

O que mais gostei da trama foi a possibilidade de acompanhar o crescimento de Tarzan e seu desenvolvimento, como aprende a falar, a nadar, a se barbear e até sua confusão com suas descobertas. Muito interessante acompanhar suas descobertas e o que pensa a respeito delas. O Tarzan aqui é definitivamente mais selvagem e mais inteligente do que o que já vimos em outras adaptações.

É uma história clássica que ainda consegue encantar muitos leitores, e que mesmo com mais de 100 anos de publicação consegue ser atual e original. Recomendado demais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leave your comment!